Quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

Uma história de amor

Um casal de velhinhos. Ela com aquele olhar pesado e ausente, como quem carrega uma vida inteira de sacrifícios. Ele visivelmente debilitado, braço amparado no da sua senhora, sempre um passo atrasado. Todos os domingos lá vinham eles, depois da missa, buscar o jornal. Traziam-se um ao outro e com eles o mesmo saco de plástico de sempre, com as letras desgastadas pelo uso excessivo.
Cada domingo a mais, mais se sentia o velhinho longe da vida. Até que o casal de velhinhos, num certo domingo, não veio buscar o jornal. Nem no próximo, nem no outro a seguir.

Voltou um dia a velhinha. Só. O mesmo olhar pesado, mais pesado ainda. O mesmo olhar ausente, mais ausente ainda. No seu rosto estava escrito que trazia agora consigo a perda do seu velhinho. Com a voz embargada, pediu o jornal de sempre, que levou no saco de sempre.

O ritual repete-se há muitos, muitos domingos. Este último teria sido apenas mais um. Mas aquela voz embargada, rodeada agora por uma expressão menos dolorosa e bem mais viva, trazia consigo uma confissão envergonhada: "Sabe... o jornal não é para mim... é para o meu falecido marido". E eu percebi naquele instante que a velhinha já não estava sozinha.

publicado por ardinario às 11:12
link do post | comentar | favorito
6 ardinarices:
De Cantinho da Ni a 26 de Outubro de 2011 às 15:15
Eis uma grande definição da palavra amor :) Lindo!! <3


De Hortelã Pimenta a 27 de Outubro de 2011 às 13:49
Comovente!!


De JDF a 29 de Outubro de 2011 às 09:01
Boa!


De O do Manel a 9 de Novembro de 2011 às 09:20
Sou um seguidor de há muito, mesmo não percebendo nada de quiosques. Peço-lhe que vá largando postas com mais assiduidade, porque estou a começar com os suores frios.

Abraço

MM
http://odomanel.blogspot.com/


De Hortelã Pimenta a 11 de Novembro de 2011 às 17:01
Não temos mais histórias do quiosque? Ando a sentir falta!!!


De BicoXL a 15 de Novembro de 2011 às 00:29
Já sigo o blog do quiosque há algum tempo, atraves da dica de um Amigo e de facto tem narrativas hilariantes das mais diversas situações, que felizmente me fazem cá vir todos os dias para ver se há mais.
Sejam cómicas, tragicas , inqualificáveis e neste caso da relação intemporal que liga estes casal de velhinhos.

Desejo de boa continuação de histórias e vendas.


Comentar post

.ardinario

RSS

.Vieram cá parar

.posts recentes

. A ORLANDA NÃO PERCEBE

. O PERFUME QUE ERA MEU

. O 11 DE SETEMBRO DOS QUIO...

. 3000 METROS OBSTÁCULOS

. Abra-se o livro!

. A vida dá muitas voltas

. À atenção dos accionistas...

. QUIOSQUE QUE LADRA NÃO MO...

. Última hora!

. O CURSO DE LÍNGUAS E O RO...

.arquivos

. Janeiro 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2013

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.links