Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011

Outra vez aquilo do gato

Outra vez aquilo do gato.

O gato viu a sua pena suspensa. O poker tem corrido bem e deixou de haver a necessidade de colocar as culpas no bicho quando o meu par de ases é batido por um trio de duques. Foi assim reintegrado no ambiente familiar e autorizado a deambular pelas divisões da casa, embora com extrema vigilância.

Uma vez que uma das brincadeiras lá por casa envolve bonecos, que podem ser piratas, animais ou nenucos, decidimos integrar o gato nas filmagens, onde passa a ser o mau da fita. Todos os bonecos são bonitinhos, bonzinhos e lutam por um mundo melhor. O gato é o "gato gigante" que amedronta tudo e todos. No fundo, apenas tem que ser igual a ele próprio. Basicamente, os bonecos bonitinhos, bonzinhos e que lutam por um mundo melhor, caem frequentemente (são empurrados para) nas garras do gato-gigante. São violentemente mordidos e arranhados e há depois um boneco que se arma em super-herói e tenta salvar o amigo. O amigo safa-se e o super-herói fica preso nas garras do gato-gigante, e assim sucessivamente, até todos passarem pelas garras do felino e todos serem salvos, excepto o último, que morre.

Claro que o gato-gigante se cansa de morder bonecos que não dão luta e a certa altura vira-se para a carne humana. É então que surge o homem-super-gigante (eu próprio) que com um golpe certeiro põe na linha o gato-gigante. Depois voltamos ao início até serem horas de jantar.

Ao mesmo tempo fomos descarregar o Talking Tom 2, uma aplicação em que o gato Tom imita com uma voz muito cómica tudo aquilo que ouve. Insultamos o gato Tom com frases tipo "és mau, feio e tens os dentes podres" e ele repete "és mau, feio e tens os dentes podres". Mais uma vez é uma brincadeira de loop. "Estás a imitar-me, gato mau??". E ele responde "estás a imitar-me, gato mau??". "Estás a gozar comigo??". "Estás a gozar comigo??". É então que usufruimos de uma das melhores carcaterísticas da aplicação: dar chapadas ao gato até ele ficar KO. Há 3 maluquinhos (1 deles adulto) a dar chapadas a um telemóvel, gera-se a galhofa total, toda a gente quer acertar no gato, até que o gato cai e o telemóvel também, e acaba-se a brincadeira. Também há um cão que se aproxima do gato e dá um pum gigantesco e o gato passa a dizer as frases com uma pata no nariz.

Quando não se justifica bater no gato-gigante, desanuviar um bocadinho com o Talking Tom 2 é a opção mais correcta, desde que os níveis de sanidade mental dos envolvidos permaneçam intactos. Até ver está tudo bem.

publicado por ardinario às 12:19
link do post | comentar | favorito

.ardinario

RSS

.Vieram cá parar

.posts recentes

. A ORLANDA NÃO PERCEBE

. O PERFUME QUE ERA MEU

. O 11 DE SETEMBRO DOS QUIO...

. 3000 METROS OBSTÁCULOS

. Abra-se o livro!

. A vida dá muitas voltas

. À atenção dos accionistas...

. QUIOSQUE QUE LADRA NÃO MO...

. Última hora!

. O CURSO DE LÍNGUAS E O RO...

.arquivos

. Janeiro 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2013

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.links