Terça-feira, 1 de Fevereiro de 2011

outro de nível um, isto o melhor é ser mesmo muito cuidadoso

Uma segunda-feira de Julho. Ela inicia a primeira semana de férias. Ele não, ainda vai trabalhar até 4ª, possivelmente 6ª também tem que ir. É certo que vai levar trabalho para férias. Não há filhos, talvez mais tarde, quem sabe. Assistem ambos ao prós e contras. O tema é absolutamente desinteressante para ela. Ele presta atenção aos primeiros 15 minutos, gosta de ouvir o Moita Flores. Depois pega no folheto semanal do Liedl.

Está cada um no seu sofá de 2 lugares comprados nos saldos da Moviflor num domingo chuvoso de Novembro. Ela disse "este nem é feio". Ele acenou com a cabeça, pouco convicto mas resignado, e ainda trouxeram um tapete beje para o quarto, que acabou oferecido à sogra de um deles pelo natal. São onze e cinco da noite, lá fora está uma noite agradável. Um deles, talvez ele, levanta o rabo do sofá nº1 da Moviflor, apenas o rabo, e solta um pum bem audível. Sim, foi ele. Ela só o faz quando está sozinha ou com a mãe. O Moita Flores continua a falar. Ele recolhe o rabo e vira mais uma página do catálogo. Os porta-cds de 24 unidades de capacidade vão estar a 99 cêntimos até final da semana. Pensa "não tenho tantos cds, é pena..." e vira mais uma página. Por breves instantes, ela pensa no pum dele. Não ri, não pestaneja, nem mostra desagrado. Esquece rapidamente e continua a assistir ao prós e contras, sem ouvir. O comando está entre as pernas dele. Ela hesita entre começar o segundo capítulo da sebenta de "Marketing directo" do mestrado e pedir-lhe que atire o comando. Esperguiça-se mais uma vez, coça uma virilha com veemência, tira os óculos, inicia um lento movimento, primeiro com o tronco, depois com a cabeça. Desiste e regressa à posição inicial. Ele adormece no sofá, num intervalo, ao som de uma música de um anúncio da vodafone, que "até é gira esta música", atira ele para o ar mesmo antes de adormecer, quebrando um longo silêncio desde o pum. Uma mosca pousada no candeeiro (oferta da sogra de um deles, o candeeiro, atenção, que a mosca chegou mais tarde) levanta vôo pela primeira vez desde o início do programa. "É", diz ela. Vencida pelo tédio e conquistada a última vaga de perguiça, desgruda do sofá e dá-lhe um tímido toque na mão enquanto anuncia "vou para a cama". Ele faz "hum" e muda de posição, fazendo cair na carpete as promoções do Liedl.

O casamento, ou namoro, ou o que quer que fosse, termina dois meses mais tarde. Ela faz questão de ficar com os sofás.

publicado por ardinario às 20:22
link do post | comentar | favorito

.ardinario

RSS

.Vieram cá parar

.posts recentes

. A ORLANDA NÃO PERCEBE

. O PERFUME QUE ERA MEU

. O 11 DE SETEMBRO DOS QUIO...

. 3000 METROS OBSTÁCULOS

. Abra-se o livro!

. A vida dá muitas voltas

. À atenção dos accionistas...

. QUIOSQUE QUE LADRA NÃO MO...

. Última hora!

. O CURSO DE LÍNGUAS E O RO...

.arquivos

. Janeiro 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2013

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.links